Arquivo | janeiro, 2013

A paixão acontece {Carpinejar}

29 jan
Não tem como não divulgar este texto do Carpinejar, publicado na Zero Hora de hoje, em sua coluna semanal. Vejam se não é exatamente assim… Obrigada, Aninha Castilho, por compartilhar! Prefiro o amor. Sempre!!!
solidao1
“Se você recusou sua rotina, deixou de fazer aquilo que mais gostava em nome de alguém, torrou seus bens, abandonou os amigos e os prazeres mais fundamentais, isso não é amor, é paixão.
 
A paixão é uma fatalidade, o amor é uma escolha.
 
A paixão é egoísta, o amor é generoso.
 
A paixão é renúncia, o amor é recomeço.
 
A paixão arrebenta, o amor adapta.
 
A paixão é confinamento, o amor é abrigo.
 
Não há paixão pequena, paixão simbólica, paixão discreta: é grandiosa no início e escandalosa no final.
 
Não recomendo, muito menos desaconselho: é experiência para os fortes.
 
Nada do que viveu antes terá sentido, nada do que possa viver depois terá sentido. Conjugará interminavelmente o presente do indicativo.
 
Atingirá um extremo emocional perigoso: você passa a ser do outro em tempo integral. Conhecerá sua pior crise de nervos, seu mais fundo estresse emocional, seu mais absurdo esgotamento da memória, sua mais humilhante falência financeira.
 
Uma vez apaixonado, você rejuvenesce 10 anos em 10 horas. Mas, uma vez desapaixonado, você envelhece 10 anos em 10 horas.
 
A paixão ou é imensa, ou não é. Ela não pede desculpa, não negocia: equivale a uma dependência química em seu estado mais selvagem.
 
É o equivalente ao sequestro de uma vida. A própria vida. Você é o sequestrador e o refém ao mesmo tempo.
 
Não há desconto, adiamentos, pechincha. A paixão exige pagamento à vista, execução sumária.
 
Nunca vi nenhum apaixonado transferir compromisso para o dia seguinte, ele somente antecipa.
 
Não é que a paixão seja rápida, é devastadora, não sobra coisa alguma para continuar.
 
O apaixonado não abre negócios, mas fecha portas. Não areja a cabeça, não tem grandes ideias, não combate preconceitos, emburrece progressivamente, a ponto de só ter um número para ligar e um lugar para ir.
 
Ele não tem sangue-frio, não raciocina, não elabora planos, não arruma álibis.
 
A paixão é um crime malfeito, facilmente descoberto.
 
Os envolvidos desprezam o mundo, não se importam se estão sendo vistos, se beijam em público, se são casados, noivos ou recém-viúvos, se serão criticados pelos vizinhos e familiares.
 
O apaixonado joga tudo para o alto e não fica para segurar nada.
 
Ele não tem discernimento, não lê jornal, perde sua capacidade de decidir sobre a trajetória.  Apresenta a superstição de um velho, a intuição de uma criança.
 
É um idiota sábio. Idiota porque não se defende da tristeza, sábio porque não se protege da alegria.
 
Não existe mais bom e ruim, certo e errado, esquerda e direita. Não tem sentido julgar. Não tem como se orgulhar do que foi realizado, muito menos se arrepender.
 
Você muda de personalidade, larga trabalho, descuida da família para se dedicar inteiramente a não pensar e somente sentir.
 
Não podemos nem dizer se a paixão ajuda ou atrapalha, ela acontece. É uma sorte azarada.”

Fabrício Carpinejar

Publicado no jornal Zero Hora
Coluna semanal de Fabrício Carpinejar, p. 2, 29/1/2013
Porto Alegre (RS), Edição N° 17327

Imagem: reprodução

Les Misérables

29 jan

No fim de semana passado, por indicação da minha querida amiga Nine Copetti, assisti ao filme Os Miseráveis, baseado na obra de Victor Hugo, Les Misérables. O filme é de 1998 e estrelado por Liam Neeson, Geoffrey Rush, Uma Thurman e Claire Danes. Como no romance original, a trama segue a vida de Jean Valjean (Liam Neeson), um ex-condenado (em liberdade condicional após 19 anos de trabalho forçado, por roubar comida) perseguido pelo Inspetor Javert (Geoffrey Rush). Foi filmado em Barrandov Studios em Praga. (Vejam mais detalhes da sinopse aqui). Ah, tem no Netflix!

1998-os-miseraveis3

1998-os-miseraveis5

1998-os-miseraveis2

1998-os-miseraveis1

1998-os-miseraveis6

E eu não sei por que não tinha assistido antes!! É maravilhoso!! O Liam Neeson está simplesmente perfeito no papel do Jean Valijean!! Impossível não se apaixonar, gente!! E, como em breve entra em cartaz o novo filme, desta vez um musical, como o da Broadway, não queria deixar de vê-lo antes. Vale destacar que a versão de 1998 não é um musical, inclusive nem toca aquela música lindíssima da trilha sonora da versão da Broadway. Amei e recomendo que assistam!! É lindíssimo!!

2013-os-miseraveis1

A versão de 2012, que estreia no próximo 01 de fevereiro no Brasil (ansiosa!!), tem no elenco Hugh Jackman, Russell Crowe, Amanda SeyfriedSamantha Barks, Anne HathawayEddie Redmayne, Sacha Baron CohenAaron Tveit e Helena Bonham Carter.

Ah, e para quem quiser já entrar no clima do novo filme, veja só o trailer! Amo esta música!! Fico arrepiada e me dá vontade de chorar cada vez que a ouço!

Imagens: divulgação

A Sombra do Vento

29 jan

Estava curiosa pra ler algum livro do escritor espanhol Carlos Ruiz Zafón e algumas pessoas tinham me indicado esta obra, A Sombra do Vento. A narrativa é muito bem escrita, numa linguagem direta e clara. É uma trama e tanto, complexa, cheia de suspense, emoção e adrenalina. O presente e o passado se cruzam de forma genial. Fiquei muito curiosa pra saber como os mistérios iriam se esclarecer, não conseguia largar o livro. É incrível como aos poucos as peças do quebra cabeça vão se encaixando, sempre de um modo surpreendente… Gostei muito do livro, apesar de achar um pouco pesado, arrepiante, sombrio (tem partes que dá até medo! rsrs)… Acho que o autor descreveu Barcelona de uma maneira impressionante, amedrontadora, sinistra… Bem diferente das memórias que eu tinha da cidade. A obra é, sem dúvidas, inesquecível! Recomendo a leitura e quero ler os demais livros do autor.

a-sombra-do-vento1

Meu personagem favorito não foi o protagonista Daniel e sim o Fermín Romero de Torres!! Ele é hilário, engraçado, amigo, adorei! Às vezes me pegava às gargalhadas com as pérolas que o Fermín soltava! Disparado meu personagem preferido!!

Vejam a sinopse:

“A Sombra do Vento é uma narrativa de ritmo eletrizante, escrita em uma prosa ora poética, ora irônica. O enredo mistura gêneros como o romance de aventuras de Alexandre Dumas, a novela gótica de Edgar Allan Poe e os folhetins amorosos de Victor Hugo. Ambientado na Barcelona franquista da primeira metade do século XX, entre os últimos raios de luz do modernismo e as trevas do pós-guerra, o romance de Zafón é uma obra sedutora, comovente e impossível de largar. Além de ser uma grandiosa homenagem ao poder místico dos livros, é um verdadeiro triunfo da arte de contar histórias.
Tudo começa em Barcelona, em 1945. Daniel Sempere está completando 11 anos. Ao ver o filho triste por não conseguir mais se lembrar do rosto da mãe já morta, seu pai lhe dá um presente inesquecível: em uma madrugada fantasmagórica, leva-o a um misterioso lugar no coração do centro histórico da cidade, o Cemitério dos Livros Esquecidos. O lugar, conhecido de poucos barceloneses, é uma biblioteca secreta e labiríntica que funciona como depósito para obras abandonadas pelo mundo, à espera de que alguém as descubra. É lá que Daniel encontra um exemplar de “A Sombra do Vento”, do também barcelonês Julián Carax. O livro desperta no jovem e sensível Daniel um enorme fascínio por aquele autor desconhecido e sua obra, que ele descobre ser vasta. Obcecado, Daniel começa então uma busca pelos outros livros de Carax e, para sua surpresa, descobre que alguém vem queimando sistematicamente todos os exemplares de todos os livros que o autor já escreveu. Na verdade, o exemplar que Daniel tem em mãos pode ser o último existente. E ele logo irá entender que, se não descobrir a verdade sobre Julián Carax, ele e aqueles que ama poderão ter um destino terrível.”

Capture Totale Dior {base que estou amando}

28 jan

Comprei na semana passada a Base Capture Totale Fond de Teint Sérum Régénérateur d’éclat da Dior e estou amando!! Sou fã da Teint Miracle da Lancôme, mas como não consegui encontrar a minha cor, acabei levando a da Dior que, segundo a vendedora, é muito indicada para o meu tipo de pele e ainda é um tratamento (plus!). A base em soro com pigmentos HD Liquid Crystal, proporciona acabamento de alta definição (HD) e perfeição para a pele madura e ressecada. Apesar da minha pele ser mista, gostei muito do acabamento, não deixou a pele nada oleosa, adorei!

capture-totale-base1

Segundo a descrição do site da Sephora,  “corrige todos os sinais visíveis de envelhecimento e mantém a beleza da pele graças à ação de seus componentes Alpha Longoza e Centuline que dão sustentação e mais volume à face e pigmentos de cristal líquido que ajudam a conseguir uma aparência mais natural. Ideal para uma maquiagem perfeita e leve.”

Realmente eu gostei muito, tem uma ótima cobertura (o que eu adoro) e não marca. Deixa a pele bonita (não é opaca e nem brilha).  Também fixa bastante na pele e tem FPS 15.  A minha cor é a 020 (Beige Claire). Ah, estou usando a mesma linha de cuidados para e pele (Capture Total) e estou amando também!! Excelente compra, recomendo!

Amor {Amour}

27 jan

Assisti ontem ao comentado filme Amor (Amour), uma coprodução entre companhias da ÁustriaFrança, e Alemanha, vencedor da Palma de Ouro 2012,  Melhor Filme Estrangeiro no Globo de Ouro 2013 e que está concorrendo ainda ao Oscar 2013 em 5 categorias: Melhor Filme, Melhor Filme Estrangeiro, Diretor, Atriz e Roteiro Original.

amour-filme

Bem, o que dizer deste fime, dirigido por Michael Haneke (A Fita Branca)? O longa é pesadíssimo, mas a história é bonita e muito, muito, muito triste. Se você quer assistir uma história de amor Hollywoodiana ou se pensa que o filme é um clichê que mostra as lembranças de um casal de idosos românticos, revivendo os doces momentos da vida a dois, não vá ao cinema. Esta história é sobre a vida real mesmo, a dura realidade deste casal de aposentados Georges (Jean-Louis Trintignant) e Anne (Emmanuelle Riva), com mais de 80 anos de idade, professores de música, cultos, independentes, companheiros, que têm sua vida ativa e normal até que a personagem Anne sofre um derrame e fica com um lado do corpo paralisado. O enredo se desenvolve a partir deste fato. Mostra o amor na adversidade, assim como a solidão, a doença, a entrega, a dedicação, o sofrimento, o isolamento, o medo… 

Enfim, um filme que é um verdadeiro “soco no estômago”. Se eu gostei? Gostei, mas estava preparada para o que me esperava e, desde que vi o Pedro Andrade comentando o longa no Manhattan Connection, estava curiosa pra assistir. Segundo ele, “Apesar de ser um dos filmes mais pesados que já vi na minha vida, é um espetáculo! Haneke é mestre com esse tipo de filme.” Ainda no programa, Lucas Mendes, define muito bem, dizendo que é uma história devastadora sobre “o fim da vida e sobre o amor sem fim”. Para ver o programa, clique aqui.

O trabalho da Emanuelle Riva é brilhante, espetacular, nunca vi uma atuação tão bem feita na minha vida. Estou torcendo que ela ganhe o Oscar de melhor atriz!

O drama, além de denso, tem sequências longas e angustiantes. Não é o tipo de filme que eu recomendo (a gente sai mal – mesmo – do cinema), mas valeu a pena ter assistido…

Alguém já viu? Conta pra mim o que achou? Quero muito saber outras opiniões!

Sexta-feira!

25 jan

E é assim que eu quero passar o fim de semana…

piscina

Bom finde pra vocês!

♥  ♥  ♥

Imagem: reprodução

Before Midnight

24 jan

Ai, meu Deus!!! E hoje que descobri através do blog Tem a ver comigo que dois dos meus filmes mais queridos Antes do Amanhecer e Antes do Pôr do Sol (com Ethan Hawke and Julie Delpy) têm uma continuação: Antes da Meia-noite (quase 10 anos depois do último, 20 anos após o primeiro)!! O longa estreou domingo passado no Sundance Film Festival (EUA)! E, segundo li no site Slate, o filme não é apenas bom, ele simplesmente beira a perfeição!!! Oh, my God!!! Ansiedade mode on para ver esta história (filmada na Grécia!). Curiosa!!

Vejam algumas imagens e já vamos namorando o que vem por aí!! Eba!

before-midnight2

before-midnight3

before-midnight4

before-midnight5

before-midnight6

♥  ♥  ♥

Imagens: divulgação

Restaurantes do Rio {para jantar}

24 jan

Saudades do astral contagiante da cidade maravilhosa, na qual eu tive o prazer de morar por 5 anos… Nas últimas férias no Rio, aproveitei para visitar meus restaurantes favoritos e para conhecer outras novidades que não eram do meu tempo. E fiquei muito feliz com o que eu encontrei! Eis meus TOP 6 para jantares especiais e românticos.

1. Zuka: continua maravilhoso!! Jantamos lá logo na nossa chegada e estava perfeito, impossível não amar. Adoro o astral do restaurante e a comida contemporânea perfeita! Eu pedi Camarões em Crosta de pão de alho e risoto de limão siciliano. O Luiz Paulo pediu uma Picanha com arroz Basmati de pistache com molho temperado de coalhada seca que estava divina (com um gostinho meio defumado inesquecível!!) Top, top, top!! Rua Dias Ferreira, 233, b – Leblon.

zuka1

zuka2

E de sobremesa o mais perfeito brigadeiro de colher ever!! Com bolachinha Maria quebradinha!! Uiiii! Morri!!

zuka3

2. Sushi Leblon: meu japonês favorito da vida (se bem que o Daimu de POA está se superando a cada dia!)! Edamame,  tartar de atum (divino), salmão especial crunch, sushi e sashimi da melhor qualidade, ambiente agradável, super badalado, gente bonita! Não tem como deixar de jantar lá! Amo! Só que é impossível de reservar, então tem que chegar super cedo ou dar sorte!! Desta vez esperamos super pouco, graças a Deus (e à minha amiga querida Ana Rebello), e ainda sentamos numa mesa ótima! Amei!! Rua Dias Ferreira, 256 – Leblon.

sushi-leblon1

3. Mr. Lam: conheci desta vez e me apaixonei!! Restaurante chinês com a autêntica cozinha de Pequim, chefiado por Mr. Lam (que comandava o Mr. Chow em Londres e depois o de NY). É simplesmente maravilhoso!! Adorei provar o Crispy Duck, Satay de Frango, Spring Rolls… e todas as demais delícias chinesas deste restaurante. É legal curtir um pouco o bar, pedir uns drinks, uma entradinha e depois ir para a mesa. Pedimos o Menu Degustação com Crispy Duck (mín. 2 pessoas). É o que recomendo. Se estiver em 4 pessoas, peça o menu com pato laqueado. Sem falar na inusitada sobremesa Uhn ehggi, que parece um ovo frito, mas na verdade é uma esfera molecular de maracujá sobre leito de cocada mole. Incrível e deliciosa! Rua Maria Angélica, 21, Lagoa.

mr-lam1

mr-lam2

mr-lam3

{Uhn ehggi: esfera molecular de maracujá sobre leito de cocada mole!!}

4. Fasano Al Mare: Na noite do nosso aniversário de casamento, tivemos um jantar espetacular no Fasano Al Mare, que fica junto ao Hotel Fasano. Noite inesquecível, comida perfeita, atendimento impecável, ambiente elegante! Tudo maravilhoso e digno de um jantar comemorativo e pra lá de especial! Nota 10! Amamos. Av. Vieira Souto 80 – Ipanema.

fasano-al-mare1

{Clássico Tiramisù de sobremesa}

5. Zazá Bistrô Tropical: Adorava o Zazá Bistrô e não queria deixar de ir nesta viagem. A decoração é super charmosa, com suas luzinhas coloridas, o clima descontraído e tropical. Lugar muito diferenciado. A comida estava boa, mas o serviço deixou muito a desejar. Rua Joana Angélica, 40 – Ipanema.

zaza-bistro1

zaza-bistro2

Ah, e para incrementar esta lista, não posso deixar de recomendar mais uma surpresa que amei, que foi indicação da minha querida prima Marta:

6. Le Blé Noir: restaurante francês especializado em crepes, pequeninho, super charmoso romântico e delicioso!! Simplemente o melhor crepe que já comi na vida!! A creperia tem receitas originais da Bretagne, e os crepes são feitos com farinha de trigo sarraceno (sem glúten) e sabores indescritíveis! Escolhi o Ouessant, com figos caramelizados no vinho do Porto e baunilha, queijo de cabra, presunto cru e farofa de nozes. Perfeito!! Não dá pra perder! #ficadica. Rua Xavier da Silveira, 19 – Copacabana.

le-ble-noir1

Para pensar…

23 jan

Adorei esse vídeo que vi no blog I am Leaving Today, vou compartilhar com vocês…

E se o dinheiro não existisse? #vamosrefletir

A elegância do ouriço

23 jan

Terminei de ler “A elegância do ouriço“, de Muriel Barbery, e digo pra vocês que é muito difícil colocar em palavras um pequeno resumo ou minhas impressões sobre o livro. O que posso dizer é que a-do-rei, um romance filosófico, inteligente, que nos faz pensar e aborda temas como solidão, amizade, amor, o tempo, a beleza, a arte…  enfim… a obra nos cativa e nos enriquece, sem sombra de dúvidas! Lindo livro, super recomendo e certamente é um dos mais interessantes livros que já li. Inclusive, pretendo relê-lo um dia. Imperdível!

elegancia-ourico1

Então vejam abaixo a resenha da Companhia das Letras (que está perfeita)!

“À primeira vista, não se nota grande movimento no número 7 da Rue de Grenelle: o endereço é chique, e os moradores são gente rica e tradicional. Para ingressar no prédio e poder conhecer seus personagens, com suas manias e segredos, será preciso infiltrar um agente ou uma agente ou – por que não? – duas agentes. É justamente o que faz Muriel Barbery em A elegância do ouriço, seu segundo romance.
Para começar, dando voz a Renée, que parece ser a zeladora por excelência: baixota, ranzinza e sempre pronta a bater a porta na cara de alguém. Na verdade, uma observadora refinada, ora terna, ora ácida, e um personagem complexo, que apaga as pegadas para que ninguém adivinhe o que guarda na toca: um amor extremado às letras e às artes, sem as nódoas de classe e de esnobismo que mancham o perfil dos seus muitos patrões.
E ainda há Paloma, a caçula da família Josse. O pai é um figurão da política, a mãe dondoca tem doutorado em letras, a irmã mais velha jura que é filósofa, mas Paloma conhece bem demais o verso e o reverso da vida familiar para engolir a história oficial. Tanto que se impõe um desafio terrível: ou descobre algum sentido para a vida, ou comete suicídio (seguido de incêndio) no seu aniversário de treze anos. Enquanto a data não chega, mantém duas séries de anotações pessoais e filosóficas: os Pensamentos profundos e o Diário do movimento do mundo, crônicas de suas experiências íntimas e também da vida no prédio.
As vozes da garota e da zeladora, primeiro paralelas, depois entrelaçadas, vão desenhando uma espiral em que se misturam argumentos filosóficos, instantes de revelação estética, birras de classe e maldades adolescentes, poemas orientais e filmes blockbuster. As duas filósofas, Renée e Paloma, estão inteiramente entregues a esse ímpeto satírico e devastador, quando chega de mudança o bem-humorado Kakuro Ozu, senhor japonês com nome de cineasta que, sem alarde, saberá salvá-las tanto da mediocridade geral como dos próprios espinhos.”

%d blogueiros gostam disto: